16
set

Barreiras quebra sequências de vitória de Paratinga em casa, vence com austeridade e assume liderança do grupo A da Copa Oeste.

Para os pseudos entendidos conhecedores de futebol, ao presenciar o embarque da Seleção de Barreiras na manhã de domingo (15), no Estádio Municipal Geraldão, logo imaginaria numa decepcionante apresentação contra uma Paratinga, tida como imbatível em seus domínios. O que talvez estes mesmos entendidos de futebol não imaginavam, era que numa delegação composta de 25 homens, com média de idade de 23 anos, eram capaz de representar, mesmo em condições de trabalho precárias, o futebol de Barreiras com tamanha garra e disposição conseguiria uma maiúscula vitória nos domínios do adversário por um placar convincente.
Todos Paratinguenses que compareceram ao Estádio Waldemiro Cruz não acreditavam no que estavam presenciando. Jardel, Magal e companhia, com um futebol de péssima qualidade, não conseguiam ultrapassar o sistema defensivo montado pelo técnico Laan e ainda sofria nas investidas ofensivas da seleção adversária.

A Seleção de Paratinga não era nem sombra de um time com experiência de Intermunicipal e Copa Oeste. Quem assistiu a apresentação desta seleção na abertura da Copa Oeste na Arena Quinteirão em Ibotirama, não acreditava no que estava vendo. O time errava muito na organização das jogadas ofensivas e proporcionava contra golpes sempre perigosos para a Seleção de Barreiras. Foi num erro destes na intermediária que oportunizou um escanteio e na cobrança de Paulo Henrique, Neném se aproveitou da indecisão da defesa e numa cabeçada indefensável abria o caminho para a vitória barreirense.

A seleção local continuava tropeçando nas suas próprias pernas. Sem criatividade, não conseguia construir chances para conclusão de Jardel ou Magal, ambos numa infeliz tarde, em longos cruzamentos furar o bloqueio do sistema defensivo barreirense, quando não era Rangel ou Juciê, aparecia o goleiro Junior para cortar as tentativas.

Aos berros da sua área técnica, Laan buscava corrigir o posicionamento das suas linhas para resguardar seu sistema defensivo. Paulo Henrique, Pablo, Negão e Adriel, eram constantemente alertados.

Sem muito sucesso o técnico paratinguense, Leônidas Bertunes, também exigia mais qualidade na construção das jogadas da sua equipe. Com jogadores bem aquém do que são capazes de produzir, o lateral Cebolinha era um dos poucos que quando era acionado, com criatividade assustava a defesa adversária em cruzamentos perigosos sem que os atacantes aproveitassem

Com evidente precária condição física, Paratinga vem a sofrer o segundo gol. Paulo Henrique cobra pênalti com perfeição fazendo 2 a 0 para Barreiras, placar do primeiro tempo.

No segundo tempo, Paratinga inicia com muita pressão, tanto com jogadas em campo sufocando a defensiva barreirense, quanto na arbitragem, com aquiescência do quarto árbitro, Anderson Pereira da Silva do quadro de árbitro local. Em campo, Barreiras ia conseguindo neutralizar as investidas adversária. Por outro lado, com várias pessoas alheias ao jogo, em torno de 15, nas proximidades do banco de reserva da seleção local e do destinado a arbitragem, com o técnico de Paratinga, Leônidas, fazendo trabalho de auxiliar do quarto árbitro, trocando a numeração da placa de substituição dos jogadores a serem substituídos pela sua seleção, sem que o quarto árbitro tomasse uma medida para impedir, a pressão ia aumentando. Discussões ásperas acontecendo fora das quatro linhas, até que Elzo Antonio Paz, árbitro central, começou a distribuir cartões, tanto para jogadores como também para dirigentes de ambas equipes. No fim do festival de cartões, Barreiras ficou em desvantagem nas expulsões. Neném e o goleiro Junior deixaram o time com dois a menos, além do auxiliar técnico Bruno. Pelo lado da seleção local apenas o técnico Leônidas foi excluído de campo.

A pressão de Paratinga dentro de campo na busca do gol se intensificava. Bem fechada, a defesa barreirense ia conseguindo sustentar o placar de 2 a 0 construído no primeiro tempo mesmo com inferioridade numérica. Em cobranças de faltas nas proximidades da área com Magal, uma de suas especialidades, Paratinga ia desperdiçando chances de gol e o nervosismo ia aumentando. Cebolinha, uma das poucas cabeças pensantes de seleção de Paratinga dentro de campo, acabou sendo expulso.

Mesmo sofrendo constante pressão, Barreiras ainda teve tempo de ampliar o placar. Numa jogada de profundidade, Kairo ainda tem força, após 58 minutos de jogo no segundo tempo, ganhar na corrida da zaga adversária e tocar na saída do ótimo goleiro Igor, selando a grande vitória da Seleção de Barreiras por 3 a 0.

Com a maiúscula e convincente vitória da Seleção de Barreiras sobre Paratinga, na casa da adversária que se dizia imbatível em seus domínios, por um placar de 3 a 0, que lhe coloca na liderança do grupo A e geral da Copa Oeste de Seleções, deve-se louvar o trabalho do grupo que ora representa Barreiras na competição. Da diretoria da Liga Barreirense de Futebol, ontem representada pelo incansável Edivanio Barbosa, vice-presidente, passando pela comissão técnica que tem Laan França no comando técnico e formou um grupo comprometido e capacitado no cumprimento de representar bem o futebol do município de Barreiras, mesmo em precárias condições, em especial financeiras, quando heróis jogadores, diferentemente de outras seleções que disputam a Copa Oeste, defendem a seleção sem ganhar nada.

Em Paratinga, num ambiente bem hostil, não pelos Paratinguenses que recepcionou à altura a delegação de Barreiras, e sim por deficiência de um quarteto de arbitragem que permitiu um grande número de pessoas alheias ao espetáculo, comprometendo o trabalho do trio que veio de Guanambi para dirigir a partida, que poderia levar a um final de sérias consequência pelo inflamar das discussões a beira do campo.

Paratinga encerrará sua participação na primeira fase da Copa Oeste de Seleções visitando outra grande seleção, assim como a própria Paratinga, dificilmente perde jogos em seus domínios e também tem um grupo calejado neste tipo de competição.

Pelo lado da agora líder do grupo A pelos critérios de desempate, Barreiras, estará visitando Ibotirama para sua terceira partida na competição. Essa partida, programada para dia 29 de setembro, promete um duelo particular no banco de reservas do Quinteirão. De um lado Quirino, bem quisto pelos desportistas barreirenses e que hoje defende o título de campeão da Copa Oeste de Seleções por Ibotirama, e do outro Laan França, nome que hoje tem o compromisso de dar sua contribuição no almejado reestruturamento do futebol, que num momento não muito distante, foi a sensação do interior baiano no Campeonato Baiano da primeira divisão, pela Liga Barreirense de Futebol.

Quem venha dia 29 de setembro com o clássico da amizade da Copa Oeste de Seleções. Do lado de Ibotirama Quirino, que tem um invejável currículo de muito sucesso no futebol, inclusive profissional, do outro lado, assim como seu adversário, Laan frança, não com um currículo como o de Quirino, não foi profissional, mais também vitorioso, tanto como jogador, dirigente e técnico. Promessa de uma grande partida de futebol pela Copa Oeste de Seleções, competição organizada pela Sociedade Desportiva São Francisco, Sodesf, presidida por Deusdete Vilas Boas.

Além do Blog do Boka/ a Rádio e TV Web Edenilson Rodrigues estiveram dando cobertura a esta grande Vitória da Seleção Barreirense de Futebol

#Blog do Boka/ Geraldo Bomfim

* Confira a Galeria das Imagens desta Notícia: