27
mar

O Oeste da Bahia já ocupou o posto de maior produtor de peixes em viveiro escavado da Bahia e o segundo maior polo de piscicultura do Estado, porém, a falta de estrutura, principalmente de beneficiamento, armazenamento e comercialização do pescado aqui produzido, acabou fazendo com que a região ficasse para trás. A Unidade de Beneficiamento de Pescado (UPB) instalada em Barreiras há pelo menos cinco anos, nunca foi efetivamente concluída, e, portanto, não opera com sua capacidade máxima. Questões burocráticas ainda travam o funcionamento da unidade que se constitui na principal ferramenta de suporte à atividade, no Oeste.

Como forma de agilizar os processos e dar o apoio necessário à cadeia produtiva do peixe, na última quarta-feira (20), os secretários de Agricultura e Indústria, Comércio e Serviços de Barreiras, José Marques e Carlos Costa, respectivamente, se reuniram com representantes da Cooperativa Mista dos Agricultores Familiares (Coomaf), Codevasf, Bahia Pesca, Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR) e Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar (Fetraf). Entre os assuntos discutidos e que serão postos em prática, estão o acompanhamento do trâmite de licitações que garantem a reforma da unidade e a aquisição de equipamentos.

“Entendemos a importância dessa unidade para toda a região, que além de filetar os peixes, poderá produzir farinha e óleo de peixe, como forma de aproveitar as sobras. Outra importante função é a de oferecer às cooperativas e associações de criadores, suporte e assistência técnica. Vamos buscar a desburocratização que envolve a unidade, com a finalidade de colocá-la para funcionar. Outra ação que estamos colocando em prática é a consolidação de uma parceria com um frigorífico local para recebimento e comercialização do pescado que sair daqui”, explicou o secretário Carlos Costa.

O funcionamento da UPB se dá por meio da parceria com associações de pequenos produtores da região que garantem o pescado, a capacidade de filetagem no local é de 3 mil quilos/dia, podendo ser ampliada para 5 mil quilos/dia. O local está estruturado com um galpão de beneficiamento e alguns equipamentos, porém precisa de reforma e compra de novos materiais. A unidade possui ainda três caminhões, dois refrigerados para transporte do pescado e outro, para ração. Segundo o representante da Fetraf, José Santana, o apoio da Prefeitura de Barreiras já vem acontecendo, também em outras ações.

“Havia um certo distanciamento entre os parceiros do projeto, agora, esta reunião reinicia um trabalho conjunto em prol da piscicultura regional. Existe, por parte da Prefeitura, um esforço para que atividade decole, prova disso é a realização da Páscoa no Parque e o Workshop de Piscicultura, que oferecem oportunidades de comercialização do pescado e ao mesmo tempo, levam capacitação e suporte técnico para nossos criadores”, explicou o secretário de agricultura, José Marques.

Blog do Boka/ Dircom PMB