29
abr
Foto: Divulgação

Após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) rejeitar o pedido de aprovação emergencial da vacina Sputnik V, que previne a Covid-19, os fabricantes do imunizante afirmaram, nesta quinta-feira (29), que entrarão com um processo contra o órgão. A afirmação foi feita no Twitter dos fabricantes.

Para justificar a reprovação, a Anvisa disse que não há comprovações científicas suficientes acerca da segurança do imunizante. Segundo reportagem do jornal O Globo, a agência entendeu que o adenovírus presente na Sputnik V se replica, e não se sabe quanto tepo ele fica presente no organismo.

Isso poderia causar danos à saúde dos pacientes, especialmente entre aqueles que possuem sistema imune comprometido. O Instituto Gamaleya, responsável por desenvolver a vacina, e o Fundo Russo, contudo, têm contestado essa informação.

“Anvisa fez declarações incorretas e enganosas sem ter testado a vacina Sputnik V real. E desconsiderando ofício de Gamaleya Inst. que nenhum RCA está presente, e apenas vetores não replicantes são usados com E1 deletado”, afirma a publicação.

O voto do relator do tema na Anvisa, diretor Alex Campos, indica que os limites de vírus replicantes presentes nas amostras estão “consideravelmente acima” de parâmetros internacionais. Ele toma como base a média da agência regulatória americana, Food And Drug Administration (FDA).

Fonte: Bahia Notícias.