18
jan

Os produtores rurais de todo o país já podem acessar os recursos de custeio antecipado da safra 2017/2018 disponibilizados pela Caixa Econômica Federal (CEF). São R$ 6 bilhões disponíveis para o custeio das safras de soja, milho, arroz, trigo, feijão e sorgo. Este é o terceiro ano que o banco trabalha com linhas de crédito para a agricultura e pela primeira vez o recurso está sendo liberado em janeiro.

“Anteriormente os recursos eram disponibilizados em março. Com a antecipação, o produtor pode se programar melhor e reduzir os custos da próxima safra”, pontua o diretor de Relações Institucionais da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), José Luiz Fidelis.

Segundo Fidelis, apesar de a instituição ser nova, os investimentos para o setor rural começaram muito bem pela celeridade nas operações: “Há alguns pontos a serem implementados, principalmente no quesito que tange o pessoal para atendimento ao crédito rural. A plataforma de operações é muito boa e moderna e sem dúvida nenhuma a Caixa está no rumo certo e contribuirá muito para o setor produtivo em nosso estado”, acrescentou.

Os diretores da Famato José Luiz Fidelis e Vilmondes Tomain e a analista de Agricultura Karine Machado participaram de uma reunião com representantes da superintendência regional da Caixa na última quarta-feira, dia 11.

O diretor Vilmondes Tomain aproveitou para lembrar aos representantes da CEF que a região de Barra do Garças, por exemplo, está em plena expansão agrícola. “Os aportes da instituição serão fundamentais para o estímulo a esses produtores”, avaliou Tomain que, além de diretor da Famato, é presidente do Sindicato Rural de Barra do Garças.

Aprovação

A liberação dos recursos conta com uma análise técnica automática para propostas de até R$ 1 milhão para clientes que não possuem histórico de relacionamento com o banco e de até R$ 1,8 milhão para clientes que já têm histórico na Caixa. Essa Análise Técnica Automática será feita na agência, sendo o crédito automaticamente liberado dentro do limite de cada um, caso não haja nenhum erro no projeto e toda documentação exigida seja apresentada. O objetivo é agilizar a liberação dos recursos para o custeio da safra.

Além dessa liberação automática, outra vantagem ressaltada pelos próprios representantes da instituição financeira é que a Caixa não cobra, em caso de aprovação, a taxa de análise das propostas de crédito, que é 0,5% do valor do projeto como estão fazendo algumas outras instituições.

O banco também conta com a linha de crédito Custeio Pronamp, destinada a médios produtores que tenham renda bruta anual de até R$ 1,76 milhão. O limite desta linha é de até R$ 1,5 milhão, a taxa de juros é de 8,5% ao ano.

Fonte: Canal Rural