23
maio

Apesar da votação apertada na noite dessa quarta-feira (22), a maioria dos deputados decidiu transferir o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) de volta para o Ministério da Economia. Dos 228 votos contrários à permanência da pasta no Ministério da Justiça, 24 deles foram de parlamentares baianos. Outros 10 representantes da Bahia na Câmara dos Deputados formaram a minoria de 210 votos favoráveis à mudança, que é vista como uma derrota para o governo e o ministro Sérgio Moro (saiba mais aqui).

De acordo com o registro da sessão no site da Casa, foram contra a transferência Abílio Santana (PL); Afonso Florence (PT); Alice Portugal (PCdoB); Arthur Maia (DEM); Cacá Leão (PP); Daniel Almeida (PCdoB); Elmar Nascimento (DEM); Félix Mendonça Júnior (PDT); João Carlos Bacelar (PL); Jorge Solla (PT); Joseildo Ramos (PT); Lídice da Mata (PSB); Marcelo Nilo (PSB); Márcio Marinho (PRB); Mário Negromonte Jr (PP); Nelson Pellegrino (PT); Pastor Sargento Isidorio (Avante); Paulo Azi (DEM); Raimundo Costa (PL); Ronaldo Carletto (PP); Tito (Avante); Valmir Assunção (PT); Waldenor Pereira (PT); e Zé Neto (PT).

Os votos a favor foram de Adolfo Viana (PSDB); Alex Santana (PDT); Antonio Brito (PSD); Bacelar (Podemos); Igor Kannário (PHS); João Roma (PRB); José Nunes (PSD); Otto Alencar Filho (PSD); Paulo Magalhães (PSD) e a Professora Dayan Pimentel (PSL).

Também na quarta, a Casa votou um requerimento apresentado pelo PSL para que todas as demais votações relacionadas à reforma administrativa do governo federal fossem feitas em caráter nominal, ou seja, que o voto de cada deputado fosse exibido. Nesse caso, foram 100 votos a favor, 105 contra e 65 abstenções. Considerando apenas a bancada baiana, foram três votos favoráveis, 11 contrários e oito abstenções.

Os apoiadores foram Antonio Brito (PSD); Charles Fernandes (PSD) e a Professora Dayane Pimentel (PSL). Os contrários foram Afonso Florence (PT); Bacelar (Podemos); Cacá Leão (PP); João Roma (PRB); Joseildo Ramos (PT); Marcelo Nilo (PSB); Nelson Pellegrino (PT); Pastor Sargento Isidório (Avante); Ronaldo Carletto (PP); Tito (Avante); e Waldenor Pereira (PT). Já os demais — Daniel Almeida (PCdoB); Jorge Solla (PT); Lídice da Mata (PSB); Márcio Marinho (PRB); Mário Negromonte Jr (PP); Otto Alencar Filho (PSD); Paulo Magalhães (PSD); e Valmir Assunção (PT) — contribuíram para o número de abstenções, o que fez com que a votação não tivesse quórum suficiente.

Blog do Boka/ Bahia Notícias