13
jan
Foto: Reprodução/Instagram

Entre as expectativas da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) com a Nova Central de Regulação está a economia de recursos e a otimização da troca de informações. A estrutura vai funcionar, de acordo com o secretário de Saúde Fábio Vilas-Boas, como um “cérebro tecnológico da gestão”. A Central de Inteligência vai permitir o acompanhamento online das vagas em toda a rede de saúde do estado e ainda vai unir em um só lugar todas as centrais regulação do interior, permitindo a interação e troca de informações entre elas.

“Até agora uma Central de Regulação do Sudoeste às vezes tem uma vaga sobrando, de UTI, e a Central do Sul está faltando vaga, só que um não enxerga o outro. Dentro de um espaço único, com um sistema centralizado, nós teremos condições de otimizar os recursos”, exemplificou Vilas-Boas.

O novo prédio está com obras avançadas e vai incluir a Central de Comando e Controle da Saúde, que fará o monitoramento da gestão, através de sistemas informatizados e indicadores gráficos que vão permitir o acompanhamento online do andamento da rede. O secretário destacou que esse sistema vai permitir a supervisão da rede hospitalar e da atenção especializada no que diz respeito a indicadores de saúde. “Como estão caminhando aqueles indicadores de saúde que nós pactuamos que iremos acompanhar regularmente”, detalhou Fábio Vilas-Boas.

“São indicadores online, minuto a minuto, como por exemplo a demanda de atendimento de urgência e emergência. Outros são indicadores mensais de qualidade de assistência do sistema”, acrescentou o gestor da Sesab.

A secretaria acredita que as informações geradas pelo novo sistema vão permitir o aprimoramento da gestão. Para Vilas-Boas, a Sesab passará a outro estágio: “teremos uma quantidade de informações disponibilizadas instantaneamente, num volume muito superior, com análises de processamento, cruzamento, que antes eram impossíveis de serem feitos por pessoas, passarão a ser feitos instantaneamente por computador”. Com isso, a intenção é de que as falhas sejam identificadas e corrigidas de modo mais rápido.

“A partir desse momento é trabalhar com a gestão, com colaboradores, para poder usufruir desses números e traduzir em ações que venham a mudar continuamente os resultados das nossas ações”, analisou o secretário de Saúde da Bahia.

FILA DE ESPERA

Para Vilas-Boas, o novo sistema permite uma melhoria contínua no serviço de regulação, ainda que seja praticamente impossível “zerar” a fila de espera. “O sistema recebe críticas. As pessoas têm uma expectativa de serem atendidas num prazo mais rápido. Mas ainda tem, evidentemente, muito para se conseguir para avançar. Nós temos uma capacidade de atender em torno de 800 pacientes por dia, e temos hoje em tela 1.403 esperando”, detalha o titular da Sesab.

O tempo médio de espera, segundo o secretário, caiu 50% em um ano, o que provocou uma redução de 75% no número de judicializações para transferência de pacientes na rede pública estadual. “Tem pessoas que acabam esperando aí 2, 3, 5, 7, 10 dias. Está melhorando. Antes a insatisfação era porque esperava 30 dias, agora a insatisfação é porque espera 5 dias. Quando a gente conseguir resolver o problema vai ter insatisfação porque demorou 12 horas para resolver”, projetou Vilas-Boas.

Informações Bahia Noticias