06
nov

Foto: Arisson Marinho/ CORREIO

O tempo para responder as questões, a extensão do exame e a formulação das perguntas receberam críticas.

Várias queixas. Os estudantes que responderam a primeira prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) neste sábado (5) reclamaram do tempo, da extensão e da formulação das questões do exame. As perguntas de geografia e história foram apontadas como as mais fáceis de responder. Química e física lideram o ranking de reclamações.

A estudante Milane Dória, 15 anos, é aluna do 1º ano do ensino médio e fez o Enem pela primeira vez. Ela considerou as questões ligadas à área de Ciências Humanas e suas Tecnologias mais fáceis, mas disse que para responder a prova é preciso mais que conhecimento sobre os conteúdos.

“É preciso ter disposição porque a prova é muito longa. Ficamos muito tempo sentados, na mesma postura, e isso deixa o corpo cansado. A prova foi cansativa, cheia de textos, mas eu gostei”, afirmou.

Ela fez a prova no Colégio Estadual Evaristo da Veiga, na Avenida Anita Garibaldi. A estudante fez questão de sair com o caderno da prova e aproveitou a movimentação na porta da escola para checar as respostas com os colegas e concorrentes.

Matheus Mota, 17, é amigo de Milane e estudante do 2º ano do ensino médio. Ele fez a prova pela segunda vez, como uma preparação para o próximo ano, quando vai tentar uma vaga nos cursos de Relações Internacionais ou Psicologia. “A prova desse ano, na comparação com o ano passado, foi mais conteudista. Não teve tanto texto, eles cobraram mais conteúdo específico”, afirmou.

Os professores ouvidos pelo CORREIO consideram a prova de Ciências Humanas e suas Tecnologias equilibrada e as questões de física pediram mais do que fórmulas, foi necessário interpretação. Confira a entrevista e os comentários que os professores fizeram sobre a prova.  A partir das 20h, o CORREIO vai disponibilizar o gabarito extra-oficial da primeiro dia do Enem 2016.

Os amigos Débora, Daniel e Deise após fazer a prova no campus da Ufba, em Ondina
(Foto Arisson Marinho/ CORREIO)

Horários
Para evitar chegar atrasados e se tornarem meme na internet, Milane e Matheus saíram de casa mais cedo. Ela chegou antes dos portões abrirem e ele cerca de 10 minutos depois que foram abertos.

Os dois estudantes não foram os únicos que tiveram cuidado com o horário do fechamento dos portões. Os amigos Deise Moreira, 19, Débora Silva, 21, e Daniel Magalhães, 20, moram no Nordeste de Amaralina e foram selecionados para fazer a prova no campus de Ondina da Universidade Federal da Bahia (Ufba).

Mesmo depois de a prefeitura informar que iria reforçar o transporte público neste fim de semana por conta do Enem, eles preferiram não arriscar e racharam uma corrida de táxi até o local da prova. “Chegamos cedo, antes das 11h. Ficamos com medo de pegar engarrafamentos. A prova foi boa, mas teve muito texto. As questões do Enem precisam ser mais objetivas”, reclamou Débora, estudante de Logística e que tenta vaga para Design.

Candidato corre para não chegar atrasado no primeiro dia de prova; portões fecham ao meio-dia
(Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)

Redação
Poucos estudantes arriscaram opinar sobre o tema da redação. Matheus aposta em algo ligado a intolerância. Milane acredita que pode ser xenofobia. Todos os candidatos ouvidos pelo CORREIO descartaram a possibilidade de a redação trazer alguma temática ligada a situação política vivida pelo Brasil nos últimos meses. “Seria um tema muito óbvio”, afirmou Danilo.

Para a estudante do primeiro semestre de Psicologia, Deise Moreira, o Enem pode ser a oportunidade de conseguir trocar uma bolsa estudantil de 50% em uma faculdade privada pelo ensino gratuito em uma universidade pública. Ela contou que a redação é sempre uma incógnita e as questões de química e física foram os maiores desafios nesse primeiro dia de prova.

“A dificuldade não foi só por conta dos textos, mas também pelas complexidades de Ciências da Natureza, algumas formulas eu já tinha esquecido e outras estavam muito difíceis. A gente nunca sabe o que esperar da redação, então, eu prefiro não focar em algum tema específico”, afirmou.

Na Bahia, foram mais de 664 mil candidatos inscritos para fazer os exames. Neste domingo, os estudantes vão responder as questões de Linguagem Códigos e suas Tecnologias, Matemática e suas Tecnologias e Redação. Os portões abrem às 11h, na Bahia, e serão fechados ao meio-dia. As provas serão distribuídas a partir das 12h30. Não se atrase.

Estudantes checam as salas onde fariam as provas nesta manhã, no Colégio Central
(Foto: Arisson Marinho/ CORREIO)

Fonte Correio 24h.