15º
32º
Predomínio de Sol
11
jan

Foto: Divulgação

O vice-governador apostou que o seu aliado será eleito no pleito, independente, de quem será o adversário

Se depender da confiança do vice-governador da Bahia, João Leão (PP), o governador Rui Costa (PT) será reeleito na eleição deste ano. Ontem, o pepista apostou que o seu aliado terá uma vitória “folgada” no pleito, independente, de quem será o adversário. “Nós estamos tão folgados nesta eleição que eu, Rui Costa, Jaques Wagner, não estamos pensando em eleição. Nós estamos pensando em trabalhar, executar, fazer acontecer na Bahia. É isso que nós queremos”, afirmou, em entrevista à rádio Metrópole. Na avaliação de Leão, o governador vencerá em Salvador – maior colégio eleitoral do estado – com mais de 100 mil votos de diferença. “Pode ter certeza”, frisou. Na eleição de 2014, Rui Costa venceu, na capital baiana, o ex-governador e hoje secretário municipal da Fazenda, Paulo Souto (DEM), com quase 10 mil de frente.

Publicidade

De acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o petista recebeu 509.498 votos contra 499.291 do democrata. “Nós vamos ganhar a eleição seja quem for [o adversário]. [ACM] Neto, Chico, Francisco, Zé, Mané… Nós vamos ganhar com muito mais [votos] do que na eleição na anterior”, asseverou. Leão negou que estivesse “subestimado” o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), provável adversário do governador Rui Costa. O chefe do Palácio Thomé de Souza foi reeleito, na eleição de 2016, com 73,99%, o equivalente a 982.246 votos. “Não estou subestimando. Eu gosto de Neto e não tenho nada contra ele”, frisou.

O vice-governador negou taxativamente qualquer aproximação com os aliados do gestor municipal. “Isso é conversa fiada. Isso não existe. Tenho uma relação muito boa com todo mundo, graças a Deus. Faço uma política de boa vizinhança”, salientou. Ainda na entrevista, Leão evitou comentar a montagem da chapa governista. Disse que o grupo vai sentar para definir, mas fez questão de ressaltar que acredita na permanência da senadora Lídice da Mata (PSB) na ala do governo. Nos bastidores, comenta-se que a socialista cogita lançar candidatura independente, se for preterida na composição de Rui Costa. “A chapa do nosso sonho é a [chapa] que grupo definir”, pontuou Leão. O vice do Palácio de Ondina também não descartou a possibilidade de conversar com o Movimento Democrático Brasileiro (MDB), como foi rebatizado PMDB, para que o partido se junte ao grupo de Rui. “Eu mesmo conversaria como MDB. Não acho que o MDB era Geddel [Vieira Lima]. O partido não tem culpa do que seus dirigentes fazem. Seus dirigentes que se responsabilizem pelo aquilo que fez”, ressaltou.

Vice-governador diz que Lula não será preso

O vice-governador João Leão disse, ontem, não acreditar na hipótese de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ser preso. No entendimento dele, “o povo tem dúvida” sobre a culpa do petista nas investigações da Lava Jato. “Não acho que vão prender Lula. O negócio é meio diferente com Lula”, afirmou Leão, em entrevista à rádio Metrópole.

O recurso do ex-presidente será julgado no dia 24 de janeiro pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre. Lula foi condenado, em julho do ano passado, pelo juiz federal Sérgio Moro, responsável pelo processo da Lava Jato na primeira instância, a nove e meio de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A acusação é de que o petista ocultou a propriedade de uma cobertura triplex em Guarujá, no litoral paulista, recebida como propina da empreiteira OAS, em troca de favores na Petrobras. Foi a primeira vez, na história, que um ocupante da Presidência foi condenado por um crime comum no país

. Informações Tribuna da Bahia