25
nov

“Abuso de poder e de autoridade é um assunto muito sério para ser usado como uma tentativa de safar-se”, afirmou

A ex-ministra e líder do partido Rede Sustentabilidade, Marina Silva, criticou as tentativas do Congresso Nacional de aprovar a lei de abuso de autoridade e de anistiar o caixa dois. Em artigo escrito na quinta-feira (24), e publicado no perfil oficial de Marina no Facebook, a ex-ministra relaciona o presidente Michel Temer (PMDB) com as articulações dos parlamentares que, afirma ela, têm o objetivo de “desmontar” as ações da Operação Lava Jato.

“O constitucionalista presidente da República procura justificativas para apoiar, no Congresso, tais ações que visam salvar a si mesmo e aos seus”, escreveu Marina. Ela também aponta o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), como mobilizador no poder legislativo “para tolher os poderes da Justiça”.

Para Marina, há uma força-tarefa de partidos de situação e oposição para “desmontar” a Operação Lava jato. “Abuso de poder e de autoridade é um assunto muito sério para ser usado como uma tentativa de safar-se”, afirmou. A líder do partido Rede Sustentabilidade sustentou seu apoio às dez medidas contra a corrupção, propostas pelo Ministério Público Federal.

PUBLICIDADE

images-3

“A Lava Jato pode estar fazendo uma espécie de reforma política na prática. Isso será possível se, além de desmontar as estruturas corruptas, conseguirmos institucionalizar o combate contínuo à corrupção aprovando – sem ‘jabuti’, é claro – a emenda das dez medidas”, escreveu.

Fonte Correio 24h.