25
jan

Foto: Agência Brasil

 Ministério Publico da Bahia recomendou aos prefeitos e secretários de Saúde dos municípios de Cocos, Coribe, Jaborandi, Santa Maria da Vitória e São Félix do Coribe, no Oeste do estado, a adoção de medidas de intensificação ao combate e controle da febre amarela, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti.

A região oeste da Bahia passou a ser considerada uma área de risco de ocorrência da Febre Amarela, após ser confirmada em Coribe a morte de seis macacos, animais considerados os principais hospedeiros do vírus causador da doença.

O promotor de Justiça Bruno Pinto e Silva solicitou a realização de ampla campanha de vacinação e de ações que evitem a procriação e proliferação do mosquito. Entre elas, o uso de larvicidas e inseticidas químicos, identificação e destruição dos focos do mosquito, além da responsabilização legal dos proprietários pela manutenção e limpeza dos terrenos baldios e garantia do acesso dos agentes a imóveis fechados, abandonados ou cujos donos recusem a visita.

 

Segundo a recomendação, nestes municípios, e em outros 40, toda a população deverá ser vacinada, em atenção a alerta e orientação da Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab). O promotor de Justiça recomendou atenção especial de pacientes suspeitos, não vacinados e com história de deslocamentos para áreas rurais fronteiriças aos estados de Goiás, Tocantins e Minas Gerais.

Ele ainda recomendou a notificação imediata de casos suspeitos e de morte pela doença e de adoecimento e ou morte de primatas não humanos nos municípios, além da intensificação de ações de informação, educação e comunicação em saúde destinadas à população.