22
fev

Foto: Reprodução / Sérgio Lima / Poder360

Presidente nacional do DEM, ACM Neto defendeu que sigla não deve usar o cacife acumulado nas articulações em Brasília para garantir mais cargos no governo de Jair Bolsonaro (PSL). “Não temos nenhum fetiche em exercer essa função, queremos é ajudar o Brasil. Afirmo: não indico nem porteiro no governo”, falou o prefeito de Salvador. 

De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, com o governo exibindo forte dificuldade de articulação, o DEM, o partido que elegeu Rodrigo Maia presidente da Câmara e Davi Alcolumbre comandante do Senado, propôs ao Planalto que entregue a tarefa de organizar a base no Congresso a esses dois quadros. A preocupação é que o governo tenha dificuldades em conduzir a nova Previdência. 

A oferta teria sido foi feita à Casa Civil em um jantar na última segunda-feira (18) e aliada a imposição de Maia e Alcolumbre receberem os “instrumentos” necessários para entregar aos parlamentares o que for acordado para votar com o presidente.

“Maia foi eleito presidente de todos os deputados, não presidente da Câmara a serviço do da República”, disse André Figueiredo, líder do PDT sobre o assunto. Em outras siglas, o temor é o de que o DEM use o cacife acumulado para roubar quadros de suas legendas.

Blog do Boka/ Bahia Notícias