25
abr

Foto: Reprodução

A pesquisa que mostrou ontem que apenas 35% da população considera o governo Jair Bolsonaro (PSL) ótimo e bom trouxe mais preocupação aos parlamentares que apóiam ele

A pesquisa que mostrou ontem que apenas 35% da população considera o governo Jair Bolsonaro (PSL) ótimo e bom trouxe mais preocupação aos parlamentares que apóiam ele, embora, na avaliação deles, o presidente seja o principal responsável pela baixa performance da administração até agora, que resulta em números que não se pode comemorar neste primeiro momento. Para eles, o presidente precisa arregaçar imediatamente as mangas e começar a demonstrar que trabalha pelo país, esquecendo as redes sociais e, principalmente, evitando os conflitos desnecessários entre seus filhos, o vice, Hamilton Mourão, os militares e o os olavistas, principal foco da administração federal.

Revelação

A promessa do vereador Carlos Muniz (Podemos) de antecipar o nome da empresa vencedora de uma licitação que será finalizada ainda dentro de 10 dias na secretaria estadual de Saúde ficou para hoje, uma vez que ontem os vereadores se dedicaram à sessão em que foi ouvido o secretário municipal de Saúde, Luiz Galvão, que, mesmo tendo saído recentemente de uma operação de apêndice, não deixou de ir à Casa.

Entendido

Aliás, apesar de demonstrar certo nervosismo diante dos questionamentos, principalmente dos vereadores de oposição, o secretário não deixou pergunta sem resposta, mostrando entender do riscado e dominar os dados relativos à pasta, tanto quanto seu antecessor, José Antonio Alves, que comandou anos a secretaria e a quem substituiu no ano passado.

Morte na secretaria

Um dos governistas que pediu a palavra durante a audiência com o secretário municipal de Saúde, Luiz Galvão, ontem, na Câmara, o vereador Téo Senna (DEM) fez questão de lembrar do episódio mais triste ocorrido na pasta, na gestão do então prefeito João Henrique, quando a secretaria era ocupada pelo PT: a morte do servidor Neylton, até hoje não esclarecida.

Certeza

Para petistas, uma das certezas de que a candidatura de Guilherme Bellintani à Prefeitura de Salvador é para valer é o fato de estar sendo alimentada desde o princípio pelo senador Jaques Wagner. Segundo eles, em batalha em que o ex-governador entra dificilmente os petistas perdem, o que indica a boa atmosfera existente hoje no partido em relação a Bellintani.

Campanha

Aliás, em vídeo gravado recentemente e que começou a circular na militância petista, o senador declara abertamente apoio a Eden Valadares para a sucessão na presidência do PT, argumentando que ele é um dos jovens que prometem muito e, além de ponderado, tem a história da Bahia e do PT na cabeça. Wagner lembra ainda que não é preciso ser conhecido para ganhar uma eleição.

Blog do Boka/ Tribuna da Bahia