01
jul

Foto: Reprodução

Se alguém tinha dúvida de que o ministro Sérgio Moro (Justiça) sairia ainda mais fortalecido das manifestações de ontem, convenceu-se de que, de fato, ele e a Lava Jato continuam no coração da sociedade brasileira

Se alguém tinha dúvida de que o ministro Sérgio Moro (Justiça) sairia ainda mais fortalecido das manifestações de ontem, convenceu-se de que, de fato, ele e a Lava Jato continuam no coração da sociedade brasileira. Afinal, não foram pequenas as demonstrações de apoio ao ex-juiz que comandou a Lava Jato e à própria operação em vários Estados do país. Políticos baianos avaliavam ontem, por exemplo, que não fosse o fato de Moro participar do governo Jair Bolsonaro, ele provavelmente teria tido ainda mais apoio nos protestos de ontem. Por um motivo simples, na avaliação deles: nem todo mundo que apóia o ministro da Justiça e a maior operação contra a corrupção já desencadeada no país está do lado do presidente da República.

Alvos

Não foram apenas o ex-juiz Sérgio Moro e a Lava Jato e os alvos das manifestações ontem em todo o país. Na contramão das manifestações de apoio, foram dirigidos protestos contra o Supremo Tribunal Federal (STF) e, naturalmente, o Congresso, provavelmente o campeão de impopularidade hoje no país, ao lado da Suprema Corte, em especial depois que o presidente da República passou a lhes culpar pelos problemas do país.

Dois lados

Integrante do PTB, partido que integra a base e a administração do prefeito ACM Neto (DEM), foi nomeado no governo Rui Costa (PT). Fábio Rodamilans Silva, desde sábado (29), conforme publicação no Diário Oficial do Estado, compõe o quadro da Secretaria Estadual de Infraestrutura Hídrica e Saneamento (Sihs), pasta da cota do PP, do vice-governador João Leão.

Fake news

Entusiasta da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) para investigar as chamadas fake news, ou mentiras espalhadas nas redes sociais, o senador Otto Alencar, presidente estadual do PSD e líder da sigla no Senado, defendeu a criação da CPMI como forma de frear a disseminação de informações falsas na internet. “Vamos começar para ver o que vai dar. Tem gente cometendo crime de covardia ficando atrás de celular e computador atacando a honra e a dignidade das pessoas, desrespeitando as ideias”, frisou ontem.

Fofoca

Aliás, Otto tem agido como um verdadeiro pitbull dos petistas quando o assunto são as gravações roubadas à Lava Jato e vazadas pelo Intercept Brasil. Ontem, atacou o procurador Deltan Dalagnol, que se tornou um dos alvos do site do norte-americano Glen Greenwald por causa de conversas que, na avaliação de procuradores e juízes federais, não passam até agora de fofoca qualificada.

Chocante

Jair Bolsonaro chocou mais uma vez os defensores dos Direitos Humanos, ao proclamar, numa nítida tentativa de se livrar do incômodo que foi a prisão de um militar de sua comitiva com 39 kg de cocaína Espanha, que gostaria que o caso tivesse ocorrida na Indonésia, onde a pena para quem trafica drogas é a execução. Pena, aliás, já decretada para alguns brasileiros.

Blog do Boka/ Tribuna da Bahia