04
out

Entre os defensores do presidenciável que não constam em lista no site de Bolsonaro, estão João Henrique, Irmão Lázaro e Cláudio Silva

Os principais candidatos baianos que apoiam publicamente o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) não constam na lista oficial de postulantes para os quais o capitão da reserva pede votos.

Em transmissão realizada pelo Facebook nesta terça-feira (2), Bolsonaro ressaltou a importância de eleger representantes ligados a ele, sobretudo para o Legislativo, e disse que a lista dos seus candidatos estava disponível em seu site.

Na disputa majoritária, Bolsonaro apoia na Bahia apenas o Capitão Rangel (PSL), candidato ao Senado, conforme a lista. Candidato ao governo da Bahia na chapa de Rangel, João Henrique (PRTB) é correligionário do general Hamilton Mourão, vice de Bolsonaro, mas não consta no “time” do capitão reformado do Exército.

Em debate nesta terça-feira (2), o ex-prefeito de Salvador foi inclusive provocado pelo seu adversário Marcos Mendes (PSOL). “Seu candidato a presidente nem apoia você”, disse o psolista.

Quem também revelou nesta terça sua simpatia por Bolsonaro foi o candidato do DEM ao governo, Zé Ronaldo. O democrata, porém, também não aparece entre os candidatos apoiados pelo presidenciável do PSL, embora o senador Magno Malta (PR), braço-direito do capitão, já tenha pedido votos para o ex-prefeito de Feira de Santana em nome de Bolsonaro.

Entre os postulantes a governador, Bolsonaro apoia o General Paulo Chagas (PRP) no Distrito Federal e Ratinho Jr. (PSD) no Paraná. O candidato a presidente ainda apoia Dinis Pinheiro (SD) para o Senado em Minas Gerais, Fadi Faraj (PRP) no DF e Malta no Espírito Santo.

Postulante ao Senado pela Bahia e pró-Bolsonaro, Irmão Lázaro (PSC) também não tem oficialmente o crivo do presidenciável. O mesmo se aplica a Cláudio Silva (PHS), candidato a deputado federal, que se descreve como “o Bolsonaro da Bahia”.

Para a Câmara dos Deputados, o capitão da reserva recomenda voto em Bia Kicis (PRP) no DF, além dos diversos candidatos do PSL espalhados pelo país.

(Informações Tribuna da Bahia)