08
nov

Uma audiência pública no Senado discutiu nesta terça-feira (8) os resultados e impactos dos Plano Agropecuário do Matopiba, a última fronteira agrícola do país, que abrange os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia.

 

O projeto foi criado por decreto presidencial, no ano passado, para promover o desenvolvimento econômico sustentável em atividades agrícola e pecuária na região, como explica Eduardo Mazolene, do Ministério da Agricultura.

 

Sonora: “A preocupação maior é a de levar tecnologias apropriadas para o agricultor para que ele possa ter um melhor desempenho na sua atividade e consiga, com isso, uma melhor condição de vida.”

 

Mas moradores da região de Matopiba, sobretudo indígenas e remanescentes de quilombos, reclamam dos impactos sofridos após a implantação da fronteira agrícola. É o caso da líder quilombola Fátima Barros, de Araguatins, no Tocantins.

 

Sonora: “É uma expansão para dentro dos nossos territórios. Tem uma forte especulação das nossas terras. Com isso, perdemos as terras, mas também a sociedade, de um odo geral, está perdendo água tratada, qualidade da alimentação, riqueza do solo. Ela, então, é ameaçadade todos os lados. Isso causa fote impacto no clima, nas águas, ameaça à vida no planeta.”

 

Isolete Visnieski, da Comissão Pastoral da Terra, destaca os conflitos por terra na região.

 

Sonora: “Nós temos dois problemas principais. Um, a questão dos conflitos, porque os grupos e fazendeiros da região estão chegando e impactando as comunidades. Outro, o problema principal, é a questão do meio ambiente, da água, tanto a terra quanto a água, que são bens comuns, e a vegetação também.”

 

Segundo o procurador da República Felício Pontes, o Ministério Público Federal foi acionado e estuda formas de conter o avanço do Matopiba.

 

Sonora: “Nós precisamos dos dados de quantas terras indígenas foram atingidas, quantas terras quilombolas, quantos assentados agrários estão sendo atingidos. São dados que estão sendo colhidos no processo do MPF. E, a partir dos dados colhidos, termos condições de dizer se teremos ou não uma ação judicial.”

 

A região de Matopiba abrange 337 municípios em uma área com mais de 73 milhões de hectares. Dados do governo apontam que, na temporada 2014/15, a fronteira agrícola foi responsável por 11% da produção de soja nacional.

Fonte Agência Brasil