21
ago

O evento abriu o ciclo das conferências que se estendem por todo o Estado

A III Conferência Territorial dos Direitos da Criança e do Adolescente, aberta nesta segunda-feira (19), no Centro Cultural Rivelino Silva de Carvalho, em Barreiras, reuniu, durante todo o dia, estudantes, delegados representantes dos municípios que compõem as Bacias do Rio Grande e do Rio Corrente, e das instituições públicas que integram o sistema de proteção à criança e ao adolescente. A abertura contou com as presenças da chefe de gabinete da Prefeitura, Marileide Carvalho, representando o prefeito Zito Barbosa; a secretária de Assistência Social e presidente do CMDCA, Karlúcia Macêdo; procurador do Ministério Público e Trabalho, Hélio Cardoso e Iara Farias, da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social da Bahia.

Ao declarar aberta a III Conferência, Marileide Carvalho destacou a importância do evento como ‘espaço de ampla democracia’ e destacou o trabalho que a Secretaria de Assistência Social de Barreiras tem realizado na defesa dos direitos da criança e do adolescente, desejando um dia produtivo em prol do fortalecimento das políticas públicas. Já Karlúcia Macêdo ressaltou o papel do Estado, família e da sociedade na proteção de crianças e adolescentes contra todas as formas de violência. “Crianças e adolescentes são protagonistas e devem ser tratados com respeito, como focos de investimentos e políticas adequadas”, disse.

Para o procurador Hélio Cardoso, as conferências são fundamentais para a construção e o fortalecimento de políticas públicas efetivas, uma vez que há a participação dos atores interessados. “Não basta ter órgãos bem estruturados se não tivermos o espaço de interlocução. Esta rede é importante para que os direitos sejam respeitados”, destacou.

Com a temática central “Proteção Integral, Diversidade e Enfrentamento às Violências”, a conferência teve seu estatuto aprovado durante videoconferência prévia, realizada em julho passado. “A partir daquele primeiro momento, vamos trabalhar hoje um tema amplo que insere no estatuto, diversidade para garantir o direito de todos e de forma democrática e o enfrentamento às violências. Não foi à toa que o Conselho Estadual da Criança e do Adolescente (CECA) escolheu Barreiras para iniciar a fase das Conferências, a importância social e econômica desta região são inquestionáveis”, ressaltou Iara Farias, representando a Secretaria Estadual.

Durante todo o dia, os grupos de trabalho formados pelos presentes discutiram propostas para serem compiladas e apresentadas no final da conferência. As propostas serão levadas pelos delegados eleitos e representantes da região, à Conferência Estadual prevista para ser realizada em Salvador durante os dias 6 a 8 de novembro, para, posteriormente, seguirem à fase nacional.

Participaram ainda das discussões e da abertura, a presidente do Conselho Estadual da Criança e do Adolescente, Maria de Lourdes Cordeiro; Maria Farias, do Conselho Tutelar de Barreiras; Makena Thomé, vice presidente do CMDCA; Luzane Matos, representando os conselhos da Bacia do Rio Grande e a adolescente Laura Matos. A Banda Municipal 26 de Maio abriu o evento executando os hinos Nacional Brasileiro, da Bahia e de Barreiras. Usuários do CRAS IV chamaram a atenção dos presentes sobre a importância de dizer ‘não’ à toda prática de abuso contra crianças e adolescentes, durante apresentação de boas-vindas.#Blog do Boka/ Dircom PMB