21
nov

Assim como o ator José de Abreu e a Orquestra Sinfônica Brasileira, o bloco Filhos de Gandhy terá que devolver aos cofres públicos R$ 517 mil arrecadados com base na Lei Rouanet. A entidade está na lista de projetos que receberam incentivos através do Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), mas tiveram as contas reprovadas pelo Ministério da Cultura (MinC). Em 2012, o Gandhy obteve aval do MinC para captar R$ 1,35 milhão em recursos destinados a viabilizar três dias de desfile do afoxé no Carnaval de Salvador em 2013. No entanto, uma portaria publicada nesta sexta (18) no Diário Oficial da União determina ao bloco que restitua parte da soma ao Fundo Nacional de Cultura. Ao mesmo tempo, o Gandhy foi punido pelo MinC com inabilitação por um período de três anos. Com isso, terá todos os seus projetos ou propostas cancelados, ficará impedido de captar novos patrocínios e não poderá receber repasses do Pronac.

Além da linha vermelha
Líderes da base aliada ao governo Rui Costa (PT) na Assembleia Legislativa dão como certa a candidatura do deputado estadual Ângelo Coronel (PSD) à presidência da Casa. Nos últimos dias, a bancada do partido sinalizou a intenção de lançar um nome próprio na disputa. A princípio, as apostas se concentravam sobre Adolfo Menezes (PSD), ligado ao atual presidente, Marcelo Nilo (PSL). Contudo, os ventos sopraram a favor de Coronel, tido como braço-direito do senador Otto Alencar, presidente da legenda na Bahia. O movimento dificulta as articulações de Nilo para se reeleger ou, em último caso, garantir um parlamentar leal a ele no cargo.

Jogo embolado
A entrada de Ângelo Coronel no páreo tornou ainda mais imprevisível o resultado da sucessão na Assembleia e o impacto dele sobre a articulação política do Palácio de Ondina . Isso porque, na quarta-feira passada, o deputado estadual Luiz Augusto (PP) havia confirmado sua candidatura ao comando da Casa. Além da bancada do PP, o parlamentar conta com a simpatia de 20 integrantes da oposição. Em conversas reservadas, lideranças do grupo formado por DEM, PMDB, PSDB, PRB, PPS e PV garantiram voto fechado a um governista com perfil independente. O que asseguraria a Luiz Augusto gás para chegar a um eventual segundo turno. A dúvida, agora,  é saber quem seria seu rival. Marcelo Nilo, até o momento, tem o apoio dos parceiros do PSL e do PT, que teme deixar o Legislativo nas mãos de um aliado sobre o qual o governo não tem controle.

Perto demais

A força-tarefa da Lava Jato enviou recentemente à Bahia um time de investigadores da Polícia Federal de Curitiba especializados em desvendar crimes contra o sistema financeiro. O objetivo, segundo uma fonte ligada à operação,  é confirmar indícios fornecidos por novos delatores e coletar provas apontadas por meio do cruzamento de dados da Receita e escutas telefônicas. Enquanto a Lava Jato corre o estado, um importante membro do PT baiano revelou a interlocutores as suspeitas de que esteja grampeado pela PF.

Tranca no cofre
O deputado federal Arthur Maia (PPS) apresentou uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que, se aprovada, estrangula a principal fonte de recursos para movimentos que gravitam em torno do PT.  Criada por Maia, a PEC prevê o fim da contribuição sindical obrigatória. “Atualmente, ela é cobrada mesmo para quem não é filiado”, afirmou. Para ele, a medida acabaria com a farra de sindicatos no Brasil. “Aqui existem hoje assustadores 15 mil deles. E tudo isso às custas do trabalhador, na forma de imposto”, criticou Maia.

“O deputado Sildevan Nóbrega está desinformado. Não se aprofunda nas questões e parte para críticas sem qualquer contribuição”, Fábio Vilas-Boas, Secretário estadual da Saúde, em resposta às declarações do parlamentar do PRB sobre atrasos salariais de médicos neonatologistas, publicadas ontem na Satélite.

Fonte Correio 24h.