24
jan

A La Niña de fraca intensidade beneficiou o desenvolvimento das lavouras na safra de verão. Em algumas regiões, os produtores esperavam mais chuva, mas, mesmo assim, o clima não tem sido um grande problema para a safra 2016/2017. Segundo a consultoria Agroconsult, o Brasil deve produzir 104,4 milhões de toneladas de soja nesta temporada e a produtividade média deve ser de 51 sacas por hectare.

Nas previsões da Agroconsult por estado, a fronteira agrícola do “Matopiba”, formada por Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, chama a atenção pela evolução positiva nesta safra. Juntos, os quatro estados terão um aumento médio de produção de 81%. Na safra passada, as regiões Norte e Nordeste foram bastante prejudicadas pela ausência de chuvas e a produção caiu expressivamente. Já nesta temporada, a situação se inverte e a expectativa é de recuperação da produtividade. “Temos uma safra com potencial de resultado muito bom. Comparada com o ano passado, é uma recuperação significativa”, diz André Pessôa, diretor da Agroconsult.

No Piauí, por exemplo, a produção pode chegar a 1,6 milhão de tonelada na safra 2016/2017, o que representa um crescimento de 144% em comparação com a temporada anterior. No Maranhão, a previsão é de que sejam colhidas 2,3 milhões de toneladas, com alta de 87%. No Tocantins, a colheita de soja deve chegar a de 2,6 milhões de toneladas, sendo que a estimativa indica produção 52% superior à safra anterior. Na Bahia, a produção pode alcançar 4,5 milhões de toneladas, o que representa alta de 41%.

Produtividade no “Matopiba”

Os estados da região do “Matopiba” também devem registrar a maior recuperação de produtividade na comparação com a safra 2015/2016. No Piauí, a produtividade da soja vai mais que dobrar, avançando de 19 para 44 sacas de soja por hectare, segundo estimativas da Agroconsult. No Maranhão, o volume colhido deve subir de 27 para 48 sacas de soja por hectare. Na Bahia, a expectativa é avançar de 35 para 50 sacas por hectares. No Tocantins, a produtividade pode sair de 32 para 49 sacas por hectare.

Baianos desapontados

Na Bahia, existe um cenário de redução de produtividade, mesmo com a previsão de 50 sacas por hectare. Segundo Pessôa, esse resultado já apresenta uma queda de 10% em relação ao potencial produtivo do estado. “Os produtores implantaram uma lavoura para 55 sacas por hectare neste ano”, afirma o diretor. Principalmente na Bahia e no Piauí, algumas áreas sofreram com a estiagem, mas as chuvas da segunda semana de janeiro beneficiaram as lavouras. “Não foi um ano excelente de clima até agora, mas foi na medida para ter uma safra razoável”, afirma Pessôa.

Fonte: SFAgro