30
jul

Foto: Reprodução

Paulo Câmara desconversou, ontem, ao ser perguntado sobre a possibilidade de Rui Costa ser candidato ao Planalto

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), desconversou, ontem, ao ser perguntado sobre o pensava da declaração do ex-ministro Ciro Gomes (PDT) de que o governador da Bahia, Rui Costa (PT), é “muito mais qualificado” do que o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT). Comenta-se, nos bastidores, que pode haver uma disputa entre os petistas para ser candidato a presidente da República.

“A gente está tão longe de 2022. Temos um trabalho forte para fazer como governador, os prefeitos. Ano que vem tem eleição municipal. Qualquer debate agora para 2022 tem que ser fruto de entendimento, de um projeto para o futuro. Nomes agora não vão ajudar a melhorar a situação do Brasil. Temos que trabalhar por um projeto. Rui está mais preocupado hoje em administrar bem a Bahia e ter no futuro a condição de apresentar um projeto bem feito com todas as forças, sobretudo, no campo da esquerda”, declarou o socialista após reunião dos governadores do Nordeste em Salvador. Em entrevista à TV Aratu, da Bahia, Ciro Gomes elogiou o governador Rui Costa e chamou Fernando Haddad de “poste”. “Rui teve uma experiência de governo relativamente exitosa. Não é um poste”, afirmou.

Também presente no evento ontem, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), voltou a rebater as críticas do presidente Jair Bolsonaro (PSL) aos nordestinos. O chefe do Palácio do Planalto chamou os governadores da região de “paraíbas”. Bolsonaro nega. “Na verdade, estamos mostrando uma diferença muito clara entre formas de governar. Infelizmente, até aqui, o governo federal mantém o país sem uma agenda de desenvolvimento, sem agenda adequada das necessidades da população. Enquanto nós estamos com uma agenda real que sintoniza com as necessidades do Brasil. Agenda do desenvolvimento, geração de empregos, solução de problemas, não queremos confusão, perseguição e conflito. Queremos uma agenda de união e paz”, afirmou.

Ambos os gestores nordestinos fizeram questão de elogiar o Consórcio do Nordeste, que é chefiado por Rui Costa. “O consórcio vem em boa hora com uma agenda positiva nas áreas como saúde, educação, segurança, geração de emprego. Isso está bem pensado para desenvolver a região Nordeste. O intuito é crescer a região como um todo. Se as coisas andarem bem em vários estados, ajudam os outros a caminharem. A gente viu isso em momentos passados quando o Brasil cresceu e o Nordeste cresceu mais que o Brasil. Tem que trabalhar conjuntamente”, declarou Paulo Câmara. Flávio Dino foi na mesma linha. “Essa cooperação dos nove estados é em favor do Brasil. Nossa contribuição para que o Brasil volte a gerar empregos”, ressaltou o comunista.

Também presente no evento, a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), teceu elogios ao consórcio. “Não é uma iniciativa qualquer estarmos em Salvador para instalar oficialmente o consórcio interestadual de desenvolvimento sustentável do Nordeste. É uma iniciativa que ganha uma relevância enorme levando em consideração os tempos que nós estamos vivendo de crise no plano nacional. Isso ganha uma força extraordinária. Mostra a força política, coesão e unidade política dos governadores do Nordeste. É uma ferramenta de gestão que vai contribuir”, disse. “O consórcio vai fazer com que nós possamos tornar o Nordeste mais competitivo, produtivo e inclusivo”, acrescentou.

#Blog do Boka/Tribuna da Bahia