17
set

Foto: Divulgação/ Polícia Militar

Para Adélio Bispo de Oliveira , o atentado foi apenas um incidente, um imprevisto, quase que sem querer

“Foi um incidente imprevisto que terminou de forma problemática por causa de discordâncias em certos pontos … pretendíamos dar uma resposta, um susto”, frase de Adélio Bispo de Oliveira, durante sua audiência de custódiano dia 7 de setembro. É com essa simplicidade e candura que o criminoso descreve sua tentativa frustrada de assassinar Jair Bolsonaro , canditado isolado na liderança das pesquisas à presidencia do Brasil, cravando uma faca com lâmina de 30cm, no seu abdômen. Para Adélio Bispo de Oliveira , o atentado foi apenas um incidente, um imprevisto, quase que sem querer.

Quem é Adélio? – Adélio Bispo de Oliveira nasceu em 6 de maio de 1978, na cidade de Montes Claros (MG), numa família muito simples. Em 1997 ele decide sair de casa em busca de emprego, e passa a viajar para outras cidades e estados. É nessa fase que ele inicia sua aproximação com a religião. Segundo a família, desde então, ele raramente voltou para sua cidade natal. Em 2013 ele é processado por crime de lesão corporal, ao se desentender com um parente e arrombar sua casa. Foi filiado ao PSOL por sete anos, de 2007 a 2014, com desejo de entrar para política como deputado. Solteiro, nos último sete anos passou por doze empregos e em nenhum permaneceu mais do que três meses. Atualmente está desempregado.

5 de julho – Coincidência ou premeditação? (1) – Nesse dia Adélio posta na sua página do Facebook uma mapa informando sua localização: Clube e Escola de Tiro .38, em Florianópolis (SC). O mesmo clube do qual os filhos de Jair Bolsonaro, Carlos e Eduardo, são sócios. No clube, Adélio, preenche uma ficha cadastral e faz uma instrução de tiro por uma hora. Os cursos desta escola custam entre R$689,00 e R$1.890,00. A viagem de ônibus de Montes Claros para Florianópolis sai por cerca de R$190,00. Não se sabe onde ele se hospedou. Esse não parece ser um típico programa de recreação de um homem pobre e desempregado, especialmente numa quinta-feira. Essa viagem, um mês antes do atendado, foi uma coincidência ou possível premeditação? 23 de agosto – Coincidência ou premeditação? (2 e 3) – Adélio compra uma passagem de ônibus, por cerca de R$190,00 e percorre 689 km de Montes Claros para Juiz de Fora. O calendário da campanha de Jair Bolsonaro previa sua chegada nessa cidade no dia 6 de setembro. Essa viagem, duas semanas antes do atendado, foi uma coincidência ou possível premeditação?

(informações Tribuna da Bahia)