24
jul

Alice Portugal declarou que Manuela D’Ávila continua candidata do partido

O PCdoB aprovou no último domingo uma resolução que visa unir partidos como PT e PDT já no primeiro turno. O documento convoca PT, PDT, PSB e PSOL a se unirem “desde já” uma vez que partidos lançam candidatos próprios e, simultaneamente, são alvo de investidas de Ciro Gomes (PDT) e o ex-presidente Lula (PT), os mais bem posicionados nas pesquisas. “Foi uma decisão nacional do partido de conclamar a unidade. Nós nos reunimos de sexta a domingo em São Paulo. A união será na medida em que as forças que organizaram o golpe estão basicamente unificadas no entorno de Alckmin. Na nossa visão Temer é igual a Alckmin e fazem face com Bolsonaro também. Eles estão unificados e nós precisamos nos unificar e avançar nessa busca. Espero que essa seja uma semana decisiva nessa direção”, declarou a deputada federal Alice Portugal.

“Manuela continua candidata, mas não será contra a unidade. Nós esperamos que essas conversações aconteçam e avancem na direção da candidatura única, contemplando a todos. Essa é a nossa expectativa. Precisamos ter a garantia que estaremos unidos para enfrentar e não permitir a legitimação do golpe nas urnas”, continua. Para a parlamentar baiana, no entanto, ainda “não existe nada ainda definido”. “Por enquanto, só está mantida a candidatura dela, como está a de Boulos, a de Ciro e a de Lula. Encontra-se numa situação que nós estamos iniciando de maneira intensa. Manuela tem defendido um projeto nacional de desenvolvimento e também tem defendido com muito apelo a liberdade de Lula. Nós, evidentemente, vamos ter que achar esse ponte de unidade. Precisamos tomar uma decisão com o maior líder da oposição preso”.

Na abertura da reunião do Comitê Central do PCdoB, realizada na semana passada em São Paulo, a presidenta nacional do PCdoB, deputada federal Luciana Santos (PE), afirmou que aumenta a responsabilidade das forças progressistas, do PCdoB, do PT, do PDT e do PSB, de buscarem a unidade eleitoral, como caminho para vencer as eleições. A dirigente nacional ressaltou ainda que a pré-candidatura de Manuela d’Ávila seguirá ativa contribuindo para que se alcance a vitória deste campo. “Neste quadro, o que nos orienta é vencer as eleições e derrotar a agenda neoliberal e neocolonial que busca ganhar a legitimidade das urnas. Somados a esse objetivo maior, estão os objetivos diretos de nosso projeto eleitoral nesta disputa”, disse Luciana.(Informações Tribuna da Bahia)