25
set

Na votação deste ano, Marta superou a norueguesa Ada Hegerberg e a alemã Dzenifer Marosán. Marta foi ao palco emocionada para receber o prêmio. “É um momento fantástico. E as pessoas falam para mim: você já esteve nessa posição tantas vezes e todas as vezes você se emociona. Realmente. Eu faço isso porque isso representa muito para mim. É um momento mágico. Obrigada”.
Marta agradeceu às companheiras do Orlando Pride (EUA), clube que defende desde o ano passado, e da seleção brasileira. Agradeceu também a Deus e a todos que a escolheram como a melhor do esporte entre as mulheres. Marta tem 32 anos e é o principal nome da seleção brasileira desde 2003, quando conquistou a medalha de ouro nos jogos Pan-Americanos de Santo Domingo, além da Copa América.

(Informações Agência Brasil)