17
ago

O primeiro debate dos postulantes ao Palácio de Ondina confirmou a expectativa: o governador Rui Costa (PT), candidato à reeleição e líder nas pesquisas, foi o alvo preferencial dos outros cinco concorrentes presentes. A TV Band transmitiu o embate inicial dos candidatos na noite de ontem. Os principais embates foram protagonizados por Rui e pelo candidato do Democratas, Zé Ronaldo, que partiu para o ataque, especialmente nas áreas da segurança e da saúde, considerada por ele as mais frágeis da gestão petista. Rui Costa adotou a defesa de seu governo, atacou a gestão do presidente Michel Temer (MDB) e enalteceu  o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, cuja candidatura ao Palácio do Planalto deverá ser vetada pela Justiça.

A pergunta de abertura, enviada por leitores do jornal Metro, foi sobre a geração de empregos. Mas, ao invés de apresentarem suas propostas, os candidatos usaram esse primeiro tempo disponível para se apresentare dar as primeiras “estocadas” nos oponentes. Após  esse momento, uma nova pergunta, dessa vez sobre segurança pública e educação, foi formulada  a partir de sugestões de telespectadores. Os candidatos aproveitaram para falar sobre seus programas e questionarem as áreas no governo atual.

Além de Rui e José Ronaldo (DEM), João Santana (MDB), João Henrique (PRTB), Marcos Mendes (Psol) e Célia Sacramento (Rede) estiveram presentes no evento. Orlando Andrade (PCO) não foi ao debate porque seu partido não tem o mínimo de seis representantes no Congresso.

O debate é o momento que o cidadão tem para saber, de fato, o posicioamento dos postulantes sobre temas relevantes.  É o lugar em que os candidatos aproveitam para se apresentar ao público e expor os adversários. As críticas ao governo de Rui Costa foram feitas logo na chegada do primeiro candidato à emissora, o emedebista João Santana, para quem o governo do petista está estagnado. Apesar de afirmar que não pretendia responder aos ataques, Rui defendeu os programas, inclusive afirmando que alguns eram os melhores já realizados do estado, como a entrega de equipamentos para a agricultura familiar e maior investimento na história na contratação de policiais.

Durante o debate, a questão nacional esteve bastante presente. O presidente Michel Temer foi  atacado sobretudo pelo governador Rui Costa. Ao fazer o contraponto,  Célia Sacramento lembrou que o emedebista foi apoiado pelo governo do PT, sendo vice da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Marcos Mendes (Psol) também criticou o governo de Temer e relembrou a morte da vereadora carioca Marielle Franco, sua correligionária. João Henrique por diversas vezes citou o candidato a presidente que ele apoia, Jair Bolsonaro (PSL), líder nas pesquisas sem o ex-presidente Lula.

Questões como a extinção da Cesta do Povo também foram debatidas pelos candidatos. José Ronaldo prometeu dar maior atenção aos funcionários que foram demitidos. O tema da falta de trabalho também foi bastante abordada, como um problema do governo federal, mas também estadual.

O fechamento do Centro de Convenções foi outro tema abordado por João Henrique, que é contra a construção de dois equipamentos em Salvador – um pelo governo, outro pela prefeitura.

No segundo bloco, houve embate entre os candidatos em ordem previamente definida. Jornalistas e colunistas da Band sabatinaram os concorrentes. No último e quarto bloco, houve novamente um confronto entre os candidatos, seguido das considerações finais.

Educação e segurança
O primeiro bloco foi dedicado à apresentação dos candidatos. Cada um teve 30 segundos. No segundo bloco, uma pergunta com tema escolhido pelos telespectadores – educação e segurança – foi realizada. Para a educação, Célia Sacramento ressaltou a importância da estruturação das escolas, da ocupação da juventude, da qualificação profissional, além da valorização dos professores. Ela ainda destacou a necessidade de se implantar assistentes sociais dentros das escolas. Já para a segurança, a ex-vice-prefeita de Salvador ressaltou a importância da qualificação da polícia.“Temos que qualificar a polícia para resolver as ações e resolver as questões da segurança. Nossa juventude está sendo exterminada, temos que ocupar a juventude para resolver a questão da segurança”, defendeu.

O emedebista João Santana destacou a necessidade de investir na economia para melhorar a educação e a segurança púbica. “A atual situação é fruto da realidade socioeconômica do país e do nosso estado. Para resolver, teremos que trabalhar uma série de fatores que envolvem inteligência, aumento da tropa da polícia militar e evitar a influência política na promoção dos militares”.

O governador Rui Costa frizou os programas realizados em seu governo: o Educar para Transformar, o programa de educação profissional, o Programa Primeiro Emprego, o Mais Futuro e o Programa de Estágio. Ele ainda prometeu implantar cursos profissionalizantes em todas as escolas.

O ex-prefeito João Henrique utilizou um minuto de seu tempo para se apresentar. Quando falou do tema, destacou que a segurança e a educação estão sempre relacionados. Ele apostou na educação em tempo integral e na qualificação dos professores. Henrique aproveitou para criticar o investimento de 10% do PIB do Brasil em educação.

O ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo, respondeu que a educação baiana é a pior do Brasil. “A situação da educação a Bahia é tão grave que não há construção de nenhuma escola na Bahia. Não encontrei construção de nenhuma escola no estado. Não há avanços”, disse. Ronaldo ainda destacou a quantidade de mortes violentas do estado – que disse ser “extremamente gigantesco”. “Vou enfrentar esses dois problemas diretamente”, prometeu.

Considerações finais 
José Ronaldo aproveitou o tempo das considerações finais para se apresentar. Esse é um dos maiores desafios do democrata, que é conhecido em Feira de Santana e região. Marcos Mendes criticou Rui Costa e José Ronaldo e afirmou que irá valorizar os servidores. João Henrique, assim como protagonizado no debate eleitoral, trouxe o nome de Deus para a disputa. Ele defendeu ser um político novo com novos paradigmas e ressaltou o apoio ao Bolsonaro.

O governador Rui Costa aproveitou o espaço para pedir votos para Angelo Coronel (PSD) e Jaques Wagner (PT), além de deputados federais e o ex-presidente Lula. “Nós vamos construir outro país. Melhor, que volte a sorrir. As pessoas querem ouvir propostas, soluções para suas vidas”.

João Santana se apresentou, ressaltando que é ficha limpa. “A minha maior preocupação é com o desemprego. Temos que aliar a economia à educação”. Célia Sacramento também destacou o desemprego, além da saúde pública. Ela também pediu voto para a presidenciável Marina Silva (Rede). (Informações Correio 24 HS)

‭* ‬Confira a galeria de fotos desta notícia:‭