13
set

A Secretaria de Saúde de Barreiras está promovendo durante toda essa semana, ações voltadas ao Setembro Amarelo que visa levar conscientização e informação para todas as pessoas, possibilitando prevenir novos casos de suicídio por meio da informação e uma conversa aberta sobre esse tema com palestras nas unidades de saúde do município.

No Centro Municipal de Saúde Leonídia Ayres de Almeida, até a próxima sexta-feira, 17, serão ofertadas vagas para consultas com psiquiatras e psicólogos, para essas duas especialidades, serão aproximadamente 60 vagas. Além disso, palestras e panfletagens relacionadas ao tema serão realizadas também nas Unidades Básicas de Saúde – UBS’s e Postos de Saúde da Família – PSF’s. Já no Centro de Atendimento à Mulher (CAM), uma semana de palestras alusivas à temática Setembro Amarelo também acontece até a próxima sexta-feira, para mulheres que fazem acompanhamento e procedimento na Unidade.

“Este mês é dedicado à conscientização sobre a importância da prevenção ao suicídio. A palestra teve como tema: A importância de falar sobre prevenção ao Suicídio, uma forma de discutir sobre o tema e estimular o cuidado e a reflexão para nossa saúde mental. Essa é uma maneira de chamar atenção das pessoas para conhecer o tema e ao mesmo tempo orientar sobre as formas de prevenção, cuidado e tratamento”, disse a psicóloga Gabrielle Alcântara.

Para o secretário municipal de saúde, o Setembro Amarelo é uma ação coletiva e a proposta é promover a saúde mental e dar suporte a quem precisa de ajuda. “Atravessamos durante os últimos anos uma pandemia que mexeu com o psicológico de muitas pessoas, e infelizmente, não tem sido fácil. Diante dessa fragilidade, o tema Setembro Amarelo desse ano requer mais atenção, assim, a Secretaria de Saúde está desenvolvendo uma série de palestras e encontros com profissionais nas Unidades de Saúde, na cidade e zona rural, dando destaque ao tema. Ao longo de todo ano, nossos profissionais realizam atendimentos pontuais àquelas pessoas que precisam conversar, resolver um conflito interno ou até mesmo tratar de fato da depressão”, pontuou, Melchisedec Neves.

Informações de Dircom/PMB